CenterVet
Clínica Cirúrgica
Estatística dos Tumores em Cães
 
 

Estudos epidemiológicos de fatores de risco de câncer em cães. Revisões Epidemiologicas. Jennifer Kelsey é uma conhecida epidemiologista em câncer, de Johns Hopkins. Este artigo apareceu num diário dedicado exclusivamente para epidemiologia humana. O autor, tendo recentemente perdido seu cão com câncer, dedicou o artigo ao cão)

Epidemiologia é o estudo de doenças em populações (coletivo) em vez de indivíduos (individual). Estudos epidemiológicos examinam fatores aos quais estão associados o desenvolvimento de doenças. Populações inteiras normalmente não podem ser examinadas e a epidemiologia confia numa amostragem (partes menores da população global) e, usando estatísticas, indicam corretamente resultados para todos. Quando você ler que comer mais fibras é (ou não é) bom para impedir a doença de coração, você está lendo o resultado de um estudo epidemiológico, que se baseia em estatísticas.

Avaliação
Os estudos descritos aqui são observacionais de cães em seus ambientes e não animais de laboratório.
Este tipo de estudo observa grupos de cães com uma doença específica e a relação deste grupo com um grupo semelhante de cães sem doença (controles). Então, olhando para o passado histórico dos cães, se procura por diferenças significantes em suas vidas e tipo de exposições a que estiveram submetidos. O grau ao qual estas exposições influenciam o desenvolvimento de câncer está determinado usando-se modelos estatísticos e é expresso por uma relação de discordâncias. Isto dá uma idéia do risco ou serve como prevenção para anteceder a evolução da doença.
E xistem diferenças grandes entre as raças e mudanças de vida a envelhecimento, por isso, é que modelos estatísticos são usados para tentar compensar estas diferenças encontrando respostas que expliquem o surgimento do cancer.

Existem aproximadamente quatro cães em cada mil aos quais são diagnosticados câncer, a cada ano.
Os tipos de cânceres mais comumente diagnosticados em cães são:

CÃES MACHOS
CÃES FEMEAS
Tipo de Cancer % of Total Canceres Tipo de Cancer % of Total Canceres
Tecido Conjuntivo 17 Mama 51
Testículos 16 Tecido Conjuntivo 9
Pele (melanoma) 14 Pele (melanoma) 8
Boca e garganta 10 Linfoma 6
Linfoma 10 Boca e garganta 5
Ossos 4 Fígado e áreas de bílis 2
Estômago e intestinos 3 Ossos 2

Cães não tem muito câncer de pulmão, porque eles não fumam e estam menos expostos a conhecidos carcinógenos.
Câncer de Cólon e retal, o terceiro tumor muito comum em humanos, é extremamente raro em cães. Isto poderia ser devido a mais rápida (em tempo) absorção de alimento por cães, mais exercitados e por uma dieta diferente dos humanos.
O câncer de pele (melanoma) e o câncer de tecido conjuntivo é em grande parte espontâneo em cães.

Câncer de mama
97% por cento de todo câncer de mama em cães acontece em fêmeas. É o câncer mais comum em cadelas. 76% de todos estes tumores são do mesmo tipo como encontra-se em humanos, adenocarcinomas. Os cães de raça tem duas vezes mais câncer de mama do que raça misturadas (vira-lata) da mesmo idade. A importancia de examinar estudos de câncer de mama em cães é que os ovários removidos cedo protegem contra câncer de mama. A proteção maior acontece se o cão tem removido os ovários antes de seu primeiro cio. Se a cadela tem removido os ovários depois de idade 2 ½ anos, o risco de adquirir câncer de mama não é estatisticamente diferente de uma cadela que não teve removido os ovários. Um estudo, contudo, achou pelo menos alguma espécie de proteção contra o câncer de mama quando cadelas tiveram removido os ovários até 5 anos de idade. Claramente, quanto mais cedo uma cadela tiver removido os ovários, menos chances terá, provavelmente, de aquirir câncer de mama.
Como em humanos, a presença de receptores, estrógeno e progesterona em câncer de mama sugere um papel importante para excitação hormonal no desenvolvimento de tumores. Tumores que têm um maior número de receptores de estrogênio e progesterona são menos malignos que aqueles com menos destes receptores.
Interessantemente, uma mostra sugere que beagles que engravidaram em todos os ciclos não desenvolveram câncer de mama. Outras mostras sugerem que doses altas de contraceptivos pode induzir o desenvolvimento de câncer de mama em beagles.
Estudos acharam associações entre desenvolvimento de câncer de mama e dieta, obesidade e peso inferior ao normal. Uma mostra sugere que a quantia de gordura na dieta não foi associada com câncer de mama mas já uma dieta de baixa-gordura e de alta-proteína foi associado com um uma maior chance de câncer de mama. Cadelas que tiveram peso inferior ao normal como filhotes, por ex, tem cerca da metade do risco de desenvolver câncer de mama, assim como filhotes que foram de peso normal ou acima-normal. Uma relação encontrada é a de cães obesos terem 4 vezes mais chance de desenvolver câncer de mama , tumores malignos que cães de peso normal.

Câncer Testicular
Encontra-se em humanos (homens) um tipo de câncer testicular, seminomas, e os cães desenvolvme quaisquer um dos três tipos de tumores testicular: sertolioma, seminomas e tumores de célula de intersticial. Também não existe aumento do número de casos de câncer testicular em cães no início da maioridade, como existe em humanos.
Cães com anomalias de testículos (os testículos não migram convenientemente ao escroto mas permanecem na cavidade abdominal - criptorquidismo) tem um risco notadamente mais alto que outros cães para desenvolverem este tipo de câncer. Cães com hérnia inguinal têm também risco aumentado. Obviamente, castração de cães previne o desenvolvimento deste tipo de câncer.

Linfoma
Linfoma é um câncer das células do sistema imune. Linfoma de caninos é muito parecido com tipos de linfomas em humanos. Cães estão mais provavelmente propensos a obter este tipo de câncer quando mais velhos. Machos e fêmeas desenvolvem este câncer em torno da mesma taxa. A remoção dos ovários não afeta o desenvolvimento desta doença. As raças puras são levemente mais propensas a desenvolverem linfoma que cães vira-lata.
Existe uma associação modesta entre desenvolver linfoma e o uso de herbicidas e/ou produtos químicos para tratar o gramado, utilizado pelo cão. Outra associação é entre linfoma e exposição em campos eletromagnéticos.

Osteossarcoma
Tumores de ossos em cães são muito parecidos com aqueles que afetam os humanos. A metáfise, onde crescimento acontece, é o local mais comum. Estes tumores são normalmente de alta percentagem de agressividade e normalmente estendidas para outras partes do corpo. O pulmão é muito comumente envolvido.
Osteossarcoma tende afetar maior numero de raças com um leve aumento de incidência na idade avançada. Machos são mais provavelmente afetados que as fêmeas. E desde que esterelizadaos, cães e cadelas têm duas vezes mais o risco de desenvolver a doença comparado com cães intatos - fatores hormonal são uma forte aposta de atribuições.
Raças que pesam acima 30 kg são 61 vezes mais propensas para desenvolver câncer ósseo que cães com peso inferior. Por exemplo, quando você considerar duas raças que pesam acima de 30 Kg, um Irish wolfhound e um mastim, o cão de caça tem uma probabilidade mais alta de desenvolver osteossarcoma porque ele é mais alto na cernelha. Contudo, dentro da mesma raça, animais pesados são mais provaveis de desenvolver a doença.
Como em crianças, o desenvolvimento de câncer ósseo em cães é relativo ao crescimento rápido de ossos. Écomprovado que atividade estênua que causa fraturas microscópicas de ossos durante períodos de crescimento rápido induz a formação de câncer.
Irradiação ionizadora (como em terapia de radiação) e tendo um implante metálico no reparo de uma fratura, estão ambas associadas ao desenvolvimento de osteossarcoma. Contudo, dado sua raridade em cães, nenhum destes dois fatores é provavelmente responsável por um número significante de tumores de osso.

Bexiga e Câncer Uretérico
Câncer na Bexiga é mais provavel acontecer em cães mais velhos. Dois estudos acharam risco mais alto em fêmeas. Outro estudo posterior achou que esterilização em cães de ambos sexos parece apontar risco mais alto.
Tumores de Bexiga tem sido experimentalmente mostrado ser induzido por hidrocarbonetos aromáticos incluindo paraaminobiphenyl, paranitroliphenyl, betanapthylamine, e outros. Esta é mais que uma associação, estas substâncias químicas e outras como elas são CONHECIDAS POR CAUSAR câncer de bexiga em cães.
O desenvolvimento de câncer de bexiga é associado a pulga e carrapatos, xampus contra pulga e carrapato, obesidade um ano antes de diagnose e proximidade da casa do cão a pântanos. Cães contaminados por pulgas e carrapatos foram 27 vezes mais expostos à doença que cães com controle.
Interessantemente, os autores sugerem que não é o ingrediente ativo nos produtos contra pulga e carrapato que causam o câncer de bexiga mas sim o "veículo inerte" ou "excipiente". Estes veículos atuam como solventes aos ingredientes ativos e geralmente respondem por 95% do produto total. Eles incluem como carcinógenos tais como benzeno, tolueno, xileno e destilados de petróleo.
Uma explicação das diferenças de gênero em desenvolver câncer de bexiga em cães é que machos urinam mais freqüentemente que fêmeas, tendo o carcinógenos mais contato com a bexiga de cadelas. Outra explicação é que fêmeas têm relativamente mais gordura de corpo e as substâncias químicas conhecidas por causar câncer de bexiga estão armazenadas e se concentraram relativamente em gordura. Isto explica também porque cães obesos são mais propensos a desenvolver o câncer.

Câncer de Focinho
Câncer nasal pode surgir conforme o aumento da idade em cães. Machos são mais propensos a desenvolver este tipo de câncer que as fêmeas. Raças Longo-faro têm maior risco de obter esse tipo de câncer enquanto outras raças têm um risco mais baixo e vira-lata têm risco intermédio. Julgando os exemplos dados pelo autor, os dálmatas seriam considerados como uma raça longo-faro.
O nariz atua como um filtro inicial do ar que entra, e o autor sugere que as raças longo-faro tem mais contato carcinógeno induzindo a formação de câncer.
Raças longo-faro com fumantes na casa tem duas vezes mais probabilidades de desenvolver o câncer nasal.

Câncer de Pulmão
Câncer de Pulmão é razoavelmente raro em cães embora esse número já tenha aumentado. Não é conhecido, contudo, se o aumento é real ou um resultado de melhores técnicas para descobrir câncer de pulmão em cães.
Machos e cadelas desenvolvem este câncer na mesma taxa. Pode-se sugerir um desprezível aumento de risco associado ao ambiente urbano. Cães expostos ao cigarro numa casa tem duas vezes mais o risco de desenvolver câncer de pulmão. Câncer dos pulmões (mesotelioma) está também associado com exposição de amianto em cães.

Câncer de Próstata
Cães são a única espécie não-humana que também desenvolvem câncer de próstata. Em um a cada 150 cães machos acima de 8 anos de idade foi encontrado câncer de próstata. Ao contrário da doença em humanos, o câncer de próstata de canino é uma doença agressiva que estende rapidamente à nodos de linfáticos, pulmões e ossos. Normalmente, quando cães são diagnosticados com câncer de próstata, ele já está em sua fase avançada. Não existe nenhum dado no artigo descrevendo as taxas de câncer de próstata em esterelizados versus cães intatos.


 
 
 
 
Home   |   Ver Animação   |   Dog Vip   |   Classificão   |   Quem Somos   |   Contatos   |   Mapa do Site
 
 
 
Copyright © 2015 CenterVet. All rights reserved.